quarta-feira, 25 de maio de 2011

O pior cego é o que não quer ver.






Já diz um velho ditado "o pior cego é o que não quer enxergar", verdade vivida por indivíduos da atualidade, que se rotulam por cristãos e se dizem caluniados, perseguidos por alguns outros cristãos cuja crença está fundamentada e alicerçada nas sagradas escrituras.
A opinião dos supostos perseguidos, é rotular de fanáticos, e verdadeiros inquisidores aqueles que não estão nos moldes de mentes abertas da modernidade, para poderem  "pensar livremente".
"Pensar livremente" para esses que sentem  perseguidos é negar a soberania de Deus, declarar que uma relação homossexual não é promíscua.
Se "pensar livremente" é pensar segundos os padrões caídos e deturpados de uma natureza que nada pode fazer de si mesma se não correr para o  pecado, e por meio desse estar totalmente afastado de Deus e de sua moralidade para minha vida, melhor me é estar de "mente fechada". Pensar, mais "pensar livremente" dentro da liberdade de que Cristo me dá, de saber que Nele estou livre da condenação eterna, livre do  poder do pecado, e que Nele sou livre para "pensar livremente" na convicção de que sou mais que vencedor, porque Ele me libertou de algo que era maior do que eu, algo que por minhas forças não teria condições de vencer.Fez-me Ele enxergar e me dar condições de buscar Nele o verdadeiro colírio para ungir meus olhos e poder ver a Sua maravilhosa luz.


domingo, 22 de maio de 2011

A ignorância bíblica do homem o leva a errar.






Se você estiver lendo esta postagem, é sinal de que ainda estamos vivos!!! Calma meus irmãos, não sejam precipitados ou façam mau juízo, apenas inicio esse texto com esta frase para tirar um pouco de casquinha de mais uma das muitas tentativas ilarias do homem e especificamente de grupos religiosos de tentar prever datas acerca do fim do mundo.
Com certeza brasileiros e porque não o mundo em geral, neste final de semana teve assunto de sobra para se falar, posso até imaginar: nas rodas de amigos, nas mesas de restaurantes, nos púlpitos das igrejas, no almoço de domingo em família ao redor da mesa. Enfim em vários lugares não se falava de outra coisa: "o mundo vai se acabar", era o que ouvi através de um vendedor de sapatos de uma loja aqui de fortaleza-Ce dizia ele e ainda complementava :" aproveitem, vamos comprar sapatos, e morrer todos calçados", indivíduo, bastante espirituoso esse, não?
O assunto abordado por mais cômico que agora pareça de fato é autêntico, um dia haverá um fim, porém, não será algo que poderá ser previsto pelo homem, isso é um fato bíblico.
A situação causada por essa falsa notícia de fim de mundo agendada, causou tantos efeitos negativos, que já ouvi falar de pessoas que deixaram suas casas que são próximas de praias para irem morarem em lugares mais interioranos, ou seja, em locais bem distantes de praias, pessoas ficaram com depressão, já outros deixaram tudo e se refugiaram em outros lugares.Esses são alguns efeitos colaterais causados pela ignorância espiritual do homem que o leva a uma ignorância das sagradas escrituras.São palavras do Senhor: errais não conhecendo as escrituras e nem o poder de Deus.Mt 22.29.(grifo próprio).
O desconhecimento de Deus causa no homem uma cegueira espiritual terrível, levando-o pelos caminhos mais escabrosos que o ser humano possa passar.
Tal expectativa de um fim de mundo assim, como o que acabamos de ver traz para o autêntico cristianismo um prejuízo horrível, fazendo com que o homem ainda mais incrédulo em relação a Deus e a sua santa palavra, descreiam ainda mais.
Porém, também observo no meio disso tudo o quanto o homem só tem piorado sua situação moral diante de Deus, lembro-me das palavras do amado mestre em um de seus sermões apocalípticos no  qual ele dizia: Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, Mateus 24:38 (grifo próprio).  Podemos entender que houve incredulidade por parte dos contemporâneos de Noé em relação ao dilúvio, que de fato haveria um derramamento de água tão imenso que inundaria todo o planeta, também o texto nos faz perceber que as pessoas daquela época eram extremamente materialista e ignoravam todo e qualquer acontecimento extraordinário envolvendo todos os seres humanos daquele período. De forma semelhante os nossos contemporâneos não agem de forma desigual não. Não dão ouvidos a voz de Deus por meio de sua amada noiva a igreja.
Alguns poucos tratam do assunto com seriedade, porém outros desprezam e zombam.
De certa forma o motivo de omissão do Senhor em não revelar em que dia isso acontecerá, se torna um pouco mais clara, quando nos deparamos com o comportamento humano diante desses boatos de um fim súbito.
Os falsos profetas inventam datas, tentam de alguma forma preverem o imprevisível, mas só o Senhor é o único que pode dizer: Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem. Mateus 24:27.
Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém. Apocalipse 1:7 (grifo próprio)




domingo, 15 de maio de 2011

Ser ou não ser? Eis a questão...









Quem nunca ouviu falar da famosa frase de Shakespeare ou pelo menos te-lá citado por algum momento em sua vida, seja por conhecimento ou ignorância do que significa?A famosa frase faz parte de uma peça teatral de Shakespeare que está inserida no ato III, cena I da peça A tragédia de Hamlet, príncipe da Dinamarca.A frase é um questionamento filosófico que se inicia sobre a questão do príncipe Hamlet de por fim a vida de seu tio e expandindo-se para as questões éticas quanto ao seu modo de agir.
Nessa semana passei por um momento um tanto quanto interessante e engraçado no seminário no qual  estudo.Tudo começou com uma exposição de opinião por parte do professor que lecionava a aula no momento, falando que a salvação humana estava condicionada a ação humana ou de forma mais especifica e clara, ainda, a plenos pulmões expressou o dito conju "a minha salvação depende de mim."
Partindo daí, iniciou-se um rápida polêmica sobre esse assunto: Seria realmente a salvação obtida unicamente por graça de Deus ou estaria sujeita a condição do homem aceitar ou não a Deus?
O mais engraçado disso tudo foi que em dado momento logo após o professor afirmar que sua salvação dependeria totalmente dele, bradei "estou frito", uma irmã de mais idade que estava ao meu lado olhou para mim e me perguntou porque meu irmão? Respondi: por que se não for a graça de Deus a agir em minha vida me capacitando a responder ao seu chamado e me ajudando não terei jamais condições de por minhas próprias forças me levantar diante de Deus.Logo em seguida deu-me ela um folheto evangelístico acerca da salvação.
A situação vivenciada por mim trouxe a tona duas grandes verdades.
A primeira, o quanto muitos crentes não tem a menor noção de salvação e como verdadeiros adeptos radicais islâmicos, aceitam tudo que lhes vêm pela frente sem fazer a menor distinção de conhecimento sobre o fato em questão.Acreditam e defendem veementemente que é necessário a intervenção humana na salvação, como uma espécie de retribuição pela atitude salvífica de Cristo na cruz, esquecem-se de que a bíblia está repleta,farta, abundante e transbordante de argumentos de que é Deus que salva o homem.
Efésios capítulo 2 e versículos 8,9 e 10, deixam explicitamente a relação DEUS P/ HOMEM e não HOMEM P/ DEUS. Ou seja, é Deus que age para salvar o homem e não o homem se salvando.
O mais que o homem pode fazer é só dizer sim para o chamado soberano de Deus em sua vida.
A segunda é que, cristãos devem expressar sua simpatia reformada em suas denominações de cunho pentecostal ou que não simpatizam com as doutrinas calvinistas?
Nesse debate teológico vivido em sala de aula, dentre os muitos amigos e irmãos simpatizantes pela doutrina calvinista  praticamente todos se calaram diante da aberração Pelagiana, com exceção de um amigo irmão e colega de ministério que não deixou  passar impune tal declaração, questionando logo em seguida  o professor.Quanto a manifestação praticamente solitária de meu irmão, muitos o aconselharam que não seria algo bom para ele pois pelo fato do professor poder exercer uma tal influência sobre o futuro pedagógico de muitos alunos que são convidados pelo seminário para lecionarem após a conclusão de seu seminário, ele poderia ser um dos afetados.Quanto a mim minha manifestação foi um pouco singela e tímida comparada a de meu irmão, devido ao fato de conhecer o dito professor e pelo fato de saber que pessoas assim, tão ferrenhas quanto as suas crenças, são difíceis de rejeitar o que foi acreditado e defendido com amor por tanto tempo, que o diga o calvinista R.C Sproul em seu livro Eleitos de Deus, que por sinal é ótimo, neste livro ele inicia expressando um pouco de sua luta para compreender e aceitar o fato de que Deus é que elege.
Diante disso tudo aprendi que o melhor que os cristãos que graças a Deus poderam compreender e abraçar o ensino reformado de salvação única e exclusivamente pela graça de Deus, é de, não negarem as verdades bíblicas tão questionadas e atacadas por muitos que não conhecem ou se satisfazem com um conhecimento superficial da reforma e de opiniões grotescas sobre as santas doutrinas da fé cristã, expostas de forma tão enfática por grandes teólogos, que  tais doutrinas chegam a ser assimiladas pelos nomes de seus  famosos proclamadores, como por exemplo o próprio Calvino. A eleição de Deus e bem como todas as doutrinas calvinistas não são originadas em Calvino e sim em Deus, são altamente bíblicas.
Portanto ser ou não ser um defensor bíblico é o melhor caminho para a glória de Deus e uma questão de agir de forma autenticamente cristã.

domingo, 1 de maio de 2011

Santos vivos!




Santidade, algo desejado por aqueles que verdadeiramente amam o  Senhor e desejam fazer a Sua vontade.Mas em compensação tem sido algo mal compreendido desde tempos antigos, já no século III mais ou menos, muitos cristãos primitivos que devido a abertura do cristianismo, e seu reconhecimento como religião oficial pelo império Romano e a entrada de povos bárbaros, trouxe-lhes  insatisfação com a sociedade em que estavam e procuraram viver uma vida de total asceticismo partindo para o deserto para viverem de forma solitária, surgindo a partir daí o monasticismo que de início era solitário e depois veio a ser comunal, ou seja, praticados por grupos de pessoas.Nessa suposta busca por pureza espiritual e mortificação da carne, "valia de tudo".Havia quem chegasse ao ápice da ignorância em sua busca de santidade, que segundo conta a história da igreja, pessoas colocavam sua mão ao fogo para ser queimada para "mortificar a carne", enquanto outros por matarem um mosquito ficaram nus em pântanos por meses para serem picados por insetos, já outros ficaram por anos sobre topo de um tronco, com certeza esses são só alguns dos absurdos registrados, isso nos tempos mais primitivos e se imaginarmos nos absurdos acontecidos durante os anos da história da igreja e ainda muitas coisas são praticadas por cristãos de nossos dias em busca de santidade.
Que dizer então de santidade?
Santidade em 1º em lugar não é sinônimo de perfeição, ser santo não é estar livre da natureza pecaminosa, ainda estamos no mundo, perfeição só quando estivermos com Cristo na glória.Ser santo em um mundo totalmente corrupto é um desafio constante àqueles aos quais o Senhor os chamou para as boas obras que O Senhor de antemão preparou para que andássemos nelas.A real santidade cristã é impossível aos seus praticantes sem ajuda do Espírito Santo, sendo que um ser totalmente caído e distante de Deus como é o homem, jamais conseguirá ser santo por si só, basta olharmos para o passado da igreja e veremos que é em vão qualquer prática em direção a santidade sem a ajuda do Espírito Santo.
Santidade não é um comprimido que se toma com um copo com água e em questões de minutos seus efeitos são manifestos e pronto somos santos.Não!Santidade é algo que Deus realiza em nossas vidas, reconstruindo o que o pecado destruiu, um novo caráter, conforme a imagem de Cristo Jesus.Santidade não é obtida pelo simples fato de praticar os mandamentos, santidade está em ter consciência de quem éramos e de quem somos agora, pessoas que foram ressuscitadas pela graça de Deus para novidade de vida, e mais do que questão de consciência, santidade vem de dentro para fora é operada no caráter e se manifesta de forma externa por meio de uma vida que está separada do sistema de corrupção que rege este mundo, vidas transformadas de tal forma pelo evangelho que não há como não ser notado pelas pessoas que os rodeiam.
Ser santo não é ser canonizado e cultuado em morte.
Ser santo é ser santo em vida, ser separado por Deus e para Ele.
Devemos ser santos vivos e não santos previamente canonizados para serem adorados, cultuados em suas cidades de origem ou cultuados pelo mundo afora.
Antes o que observo na bíblia é que os verdadeiros santos não reivindicam adoração para si, a sua busca é a glória de Deus, não desejam serem conhecidos, mas que Deus seja engrandecido, não se sentam em tronos de ouro, ou, muito menos são portadores de grandes quantias de prata ou ouro, antes como depósitos do Senhor trazem dentro de si a riqueza do Espírito, ministrando em nome de Jesus a cura aos doentes.Os verdadeiros santos são pessoas que trazem em si as marcas de Cristo.
Para se prestar admiração aos santos não é necessário guardar suas supostas relíquias ou as desejá-las, basta seguir o exemplo de vida de homens e mulheres que negaram muitas das vezes suas próprias vidas por amor a Cristo e ao evangelho.E vou mais longe e aconselho para todo aquele que deseja ser santo, basta seguir o santo dos santos, Jesus.