domingo, 24 de abril de 2011

Enrascada pentecostal







Amados irmãos e amigos que acessam o graça que liberta, antes de me prolongar neste texto tenho que confessar algo a respeito do tema desta postagem, fiquei em dúvida quanto ao tema que mais se adaptaria ao presente texto. Pensei, pensei e pensei e analisei alguns temas bastante sugestivos e que revelam e acentuam bem minha intenção quanto ao que desejo expressar. Pensei em colocar trauma pentecostal, também passou pela minha mente a hipótese de, receita pentecostal, outra boa opção seria coisa de pentecostal.E analisei de forma panorâmica o desenvolvimento de cada um desses temas, que colocarei abaixo de forma breve:
*trauma pentecostal- isso acontece com irmãos que passam tempos e tempos envolvidos com o pentecostalismo como é pregado nos dias atuais e ao estudar e se aprofundar um pouca mais no conhecimento bíblico irá perceber que muita coisa que aprendeu, na verdade, não existe base bíblica e em consequência disso, adquire um trauma de certas práticas pentecostais, correndo risco algumas vezes de serem considerados "crus" ou "secos" espiritualmente.
*receita pentecostal- é a prática de "fórmulas" ascéticas ou devocionais com o intento de alcançar benefícios espirituais, é muito praticado por cristãos e especialmente por pregadores "avivalistas" que acham que pelo muito gritar ou entonar a voz O Espírito Santo se manifestará sobre os irmãos..
*coisa de pentecostal- já isso está relacionado a crenças por parte de alguns irmãos pentecostais e não por todos os pentecostais, que algumas vezes por ser tão estrambólica causa gargalhadas em quem ouve, são coisas de pentecostal: mandar segurar a unção, se o crente pedir pra jesus parar de chover e ir para o culto levando guarda-chuva vai chover por sua suposta falta de fé, kkkkk e uma das mais ilarias que já ouvi falar, fui informado por um amigo meu, ele me contou que uma irmã lhe falou que vizinho a sua casa havia dois cachorros, daqueles de estimação mesmo, só que havia um problema, os cachorros arranhavam a parede e faziam barulho e disse ela que orou a Jesus mais ou menos nesses termos " Jesus eu sou tua serva Senhor, te peço que tu mates esses cachorros, pois é irmão, um dia desse morreu um e agora to orando pra Jesus matar o outro", pasmem, o que acabo de contar realmente aconteceu.
Mas a que mais me facinou mesmo foi o tema desta postagem, enrascada pentecostal, e como já foi supra citado, ela engloba de forma perfeita todos os temas em que pensei e não só isso, ela também expressa a situação de muitos irmãos que estão no pentecostalismo, tem passado.Desde de já peço aos amados irmãos que não me compreendam mal.Pois tenha outra confissão a fazer aqui, sou pentecostal e amo a teologia reformada, e tenho simpatia por vários motivos, por ser uma teologia altamente bíblica, e por exaltar valores e verdades eternas perdidas na imensa crendice de muitas denominações evangélicas.
Quero deixar claro que também não me vejo fora do pentecostalismo, também o amo, e não tenho vergonha de dizer sou pentecostal, porém, no entanto, todavia e portanto, sou meio incrédulo quanto ao movimento pentecostal de nossos dias na forma que muitos tem levado, entendido e crido.
Esse movimento que no Brasil está no seu 1º centenário, sem sombra de dúvidas, vi a mão de Deus operar e alcançar vidas e mais vidas salvando-as e fazendo arder em seus corações um desejo intenso pela santidade do Senhor, porém, os tempos se passam e hoje olho para o movimento pentecostal e ainda creio que é um movimento de Deus, mas os fatos me trazem tristeza e como diz certo ditado: "contra fatos não há argumentos".
Quando contemplo hoje o movimento não enxergo as mesmas coisas do passado.Vejo uma espécie de máquina "inclusiva" e "excludente", o que outrora era conhecido por seu grande número de adeptos constituída por pessoas na maioria leigas e de poucas finanças.
Atualmente é bem diferente a história, faz-se uma seleção que leva alguns fatores que influenciarão no acesso a aceitação e títulos de "homem de Deus ou mulheres de Deus", ou de forma popular os chamados "vasos". Para se estar incluído no rol dos que são considerados ungidos, tem que se falar em línguas, ser do reteté como diriam alguns irmãos, só que essa exclusão não se é expressa, e sim, se sentir excluído dos demais, caso o irmão ou irmão ainda não tenha falado línguas, em algumas denominações é um dos requisitos para a separação ao diaconato. E quero deixar bem claro aqui que há irmãos que se é notório a sua chamada e desenvolvimento ministerial em outras áreas, porém, por não falarem em línguas, não são separados para o diaconato.
Outra coisa que também me traz pesar.É a forma como as pessoas pensam e acreditam o que é ser cheio do Espírito Santo.São levados por emocionalismos e acreditam que arrepios e pulos é sinônimo de ser cheio do Espírito.
Certa vez, vi uma das definições que mais me chamou a atenção e que para mim foi uma das mais lindas sobre ser cheio do Espírito.Estava lendo introdução a teologia sistemática de Millard J.Erickson sobre pneumatologia e em uma de suas sínteses textuais ele diz o seguinte "ser cheio do Espírito Santo não é ter uma porção maior do Espírito, mas o Espírito possuir uma fatia maior de nossas vidas". (grifo próprio).
Nunca mais esqueci!
Eu acredito que o movimento pentecostal ainda terá o alvo de ser cheio do Espírito Santo nos moldes que Millard definiu.Se preocupar em ser cheio no sentido do Espírito dominar totalmente a vida dos pentecostais e que esse preenchimento os impulsione e produza fruto de amor, paz, longanimidade, bondade, justiça, retidão.
Mas até esse dia chegar, estamos em uma enrascada¹.






 1-Situação complicada ou de difícil resolução.
Fonte:http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=enrascada

sábado, 16 de abril de 2011

Auto-suficiência: a efêmera ilusão humana





De todas as tentativas defasadas que o ser humano já empreendeu ou tentou realizar, creio eu, que com certeza a pior de todas não está no fato do homem ainda não conseguir com sua vasta tecnologia conquistar horizontes até então desconhecidos ou almejados pela ciência.Mas está em algo que a humanidade a muito tem relutado com todas as forças para negar ou inventar meios para resistir a verdade que está diante de seus olhos, a sua "ilusão de auto-suficiência".
Muitos chegam ao ponto de se inflar e afirmarem que a existência de um criador de todas as coisas é uma teoria ultrapassada, negando fortes evidências de que Deus existe e de que essas provas estão mais perto do que se possa imaginar, tudo isso, apoiados pela arrogância de se sentirem capazes, auto-suficientes, desfrutam a vida de maneira desenfreada como se vivesse uma vida muito louca.Sem saberem que não são auto-suficientes, são criaturas suscetíveis a uma gama de coisas e que não podem jamais mudarem o fato de que são impotentes.
A humanidade vive essa ilusão transitória, e passageira de tentar viver uma "liberdade" que a deixe livre para a banalidade nos mais diversos aspectos da sociedade.Observamos que o homem de nossos dias tem alcançado níveis de maldade assustadores, o homem parece estar sem freios, sem rédeas, sem controle.O sentimento de banalidade esta espalhado.De fato como diria o sábio Salomão em provérbios. O homem será preso por suas próprias faltas e ligado com as cadeias de seu pecado.Pv 5.22. É inevitável ao homem fugir de algo maior que ele possa imaginar, a  humanidade esta a lutar contra o seu próprio criador, podemos comparar tal situação a uma formiga querendo se erguer contra um ser humano adulto, será um esforço inútil, sem resultados.Assim o homem não reconhece que é passageiro, que o máximo de dias é 60 anos e o passar disso é enfado.Uma simples doença, um acidente inesperado, um terremoto, um tsunami e a casa de luto mostram-lhe a sua transitoriedade.De ilusões e devaneios tem vivido o homem, na constante busca por algo que lhe possa suficientemente satisfazer o vazio existencial que há dentro de si; o desejo de saber quem ele é, o seu destino, será que Deus existe?, será que o inferno existe?, será que o céu é real?.E enquanto o homem não olhar para a sua realidade de pecador e de forma verdadeira contemplar a Cristo crucificado, não como mais um dos muitos crucificados, mas com o mesmo olhar do ladrão que reconheceu suas faltas e olhou para cristo como Rei e Senhor.Jamais conseguirá viver uma vida real diante de Deus, mas sempre estará a se satisfazer e se contentar e viver em ilusões que no final se acabarão e que quando se abrirem seus olhos será tarde demais.  




segunda-feira, 11 de abril de 2011

Pecado a doença que matou a humanidade






Quando abrimos o baú da história da humanidade, descobriremos e iremos nos lembrar de coisas que deixaram lembranças amargas e boas lembranças na mente de todo aquele que se atreva a revirar este baú, dentre essas recordações quero fazer menção de algumas doenças e mazelas que atingiram a humanidade e que para sempre deixaram marcas na vida e na memória de muitas pessoas. Colocarei aqui as que mais destruíram vidas tanto quanto as guerras e desastres naturais.

História – A peste bubônica ganhou o nome de peste negra por causa da pior epidemia que atingiu a Europa, no século 14. Ela foi sendo combatida à medida que se melhorou a higiene e o saneamento das cidades, diminuindo a população de ratos urbanos
Contaminação – Causada pela bactéria Yersinia pestis, comum em roedores como o rato. É transmitida para o homem pela pulga desses animais contaminados
Sintomas – Inflamação dos gânglios linfáticos, seguida de tremedeiras, dores localizadas, apatia, vertigem e febre alta
Tratamento – À base de antibióticos. Sem tratamento, mata em 60% dos casos
50 milhões de mortos (Europa e Ásia) - 1333 a 1351
História – Conhecida desde a Antigüidade, teve sua primeira epidemia global em 1817. Desde então, o vibrião colérico (Vibrio cholerae) sofreu diversas mutações, causando novos ciclos epidêmicos de tempos em tempos
Contaminação – Por meio de água ou alimentos contaminados
Sintomas – A bactéria se multiplica no intestino e elimina uma toxina que provoca diarréia intensa
Tratamento – À base de antibióticos. A vacina disponível é de baixa eficácia (50% de imunização)
Centenas de milhares de mortos - 1817 a 1824
História – Sinais da doença foram encontrados em esqueletos de 7 000 anos atrás. O combate foi acelerado em 1882, depois da identificação do bacilo de Koch, causador da tuberculose. Nas últimas décadas, ressurgiu com força nos países pobres, incluindo o Brasil, e como doença oportunista nos pacientes de Aids
Contaminação – Altamente contagiosa, transmite-se de pessoa para pessoa, através das vias respiratórias
Sintomas – Ataca principalmente os pulmões
Tratamento – À base de antibióticos, o paciente é curado em até seis meses
1 bilhão de mortos - 1850 a 1950
História – A doença atormentou a humanidade por mais de 3 000 anos. Até figurões como o faraó egípcio Ramsés II, a rainha Maria II da Inglaterra e o rei Luís XV da França tiveram a temida “bixiga”. A vacina foi descoberta em 1796
Contaminação – O Orthopoxvírus variolae era transmitido de pessoa para pessoa, geralmente por meio das vias respiratórias
Sintomas – Febre, seguida de erupções na garganta, na boca e no rosto. Posteriormente, pústulas que podiam deixar cicatrizes no corpo
Tratamento – Erradicada do planeta desde 1980, após campanha de vacinação em massa
300 milhões de mortos - 1896 a 1980
História – O vírus Influenza é um dos maiores carrascos da humanidade. A mais grave epidemia foi batizada de gripe espanhola, embora tenha feito vítimas no mundo todo. No Brasil, matou o presidente Rodrigues Alves
Contaminação – Propaga-se pelo ar, por meio de gotículas de saliva e espirros
Sintomas – Fortes dores de cabeça e no corpo, calafrios e inchaço dos pulmões
Tratamento – O vírus está em permanente mutação, por isso o homem nunca está imune. As vacinas antigripais previnem a contaminação com formas já conhecidas do vírus
20 milhões de mortos - 1918 a 1919
História – A doença é causada pelas bactérias do gênero Rickettsia. Como a miséria apresenta as condições ideais para a proliferação, o tifo está ligado a países do Terceiro Mundo, campos de refugiados e concentração, ou guerras
Contaminação – O tifo exantemático (ou epidêmico) aparece quando a pessoa coça a picada da pulga e mistura as fezes contaminadas do inseto na própria corrente sangüínea. O tifo murino (ou endêmico) é transmitido pela pulga do rato
Sintomas – Dor de cabeça e nas articulações, febre alta, delírios e erupções cutâneas hemorrágicas
Tratamento – À base de antibióticos
3 milhões de mortos (Europa Oriental e Rússia) - 1918 a 1922
História – O Flavivírus, que tem uma versão urbana e outra silvestre, já causou grandes epidemias na África e nas Américas
Contaminação – A vítima é picada pelo mosquito transmissor, que picou antes uma pessoa infectada com o vírus
Sintomas – Febre alta, mal-estar, cansaço, calafrios, náuseas, vômitos e diarréia. 85% dos pacientes recupera-se em três ou quatro dias. Os outros podem ter sintomas mais graves, que podem levá-los à morte
Tratamento – Existe vacina, que pode ser aplicada a partir dos 12 meses de idade e renovada a cada dez anos
30 000 mortos (Etiópia) - 1960 a 1962
História – Era uma das causas principais de mortalidade infantil até a descoberta da primeira vacina, em 1963. Com o passar dos anos, a vacina foi aperfeiçoada, e a doença foi erradicada em vários países
Contaminação – Altamente contagioso, o sarampo é causado pelo vírus Morbillivirus, propagado por meio das secreções mucosas (como a saliva, por exemplo) de indivíduos doentes
Sintomas – Pequenas erupções avermelhadas na pele, febre alta, dor de cabeça, mal-estar e inflamação das vias respiratórias
Tratamento – Existe vacina, aplicada aos nove meses de idade e reaplicada aos 15 meses
6 milhões de mortos por ano - Até 1963
História – Em 1880, foi descoberto o protozoário Plasmodium, que causa a doença. A OMS considera a malária a pior doença tropical e parasitária da atualidade, perdendo em gravidade apenas para a Aids
Contaminação – Pelo sangue, quando a vítima é picada pelo mosquito Anopheles contaminado com o protozoário da malária
Sintomas – O protozoário destrói as células do fígado e os glóbulos vermelhos e, em alguns casos, as artérias que levam o sangue até o cérebro
Tratamento – Não existe uma vacina eficiente, apenas drogas para tratar e curar os sintomas
3 milhões de mortos por ano - Desde 1980
História – A doença foi identificada em 1981, nos Estados Unidos, e desde então foi considerada uma epidemia pela Organização Mundial de Saúde
Contaminação – O vírus HIV é transmitido através do sangue, do esperma, da secreção vaginal e do leite materno
Sintomas – Destrói o sistema imunológico, deixando o organismo frágil a doenças causadas por outros vírus, bactérias, parasitas e células cancerígenas
Tratamento – Não existe cura. Os soropositivos são tratados com coquetéis de drogas que inibem a multiplicação do vírus, mas não o eliminam do organismo
22 milhões de mortos - Desde 1981
Fonte: Organização Mundial de Saúde (OMS) e Fundação Oswaldo Cruz
*informações tiradas do site da super interessante sob o título “As grandes epidemias ao longo da história”. Fonte: http://super.abril.com.br/saude/grandes-epidemias-ao-longo-historia-445155.shtml


Mas de todas as que marcaram o homem esquecemo-nos de uma que posso designa-lá como a causa ou motivo de todas as mazelas a que a raça está sujeita, que se chama pecado.
Geralmente tocamos no assunto como algo ilusório e de nenhum valor ou para muitos algo prazeroso, se assim tratarmos o pecado estaremos caindo em uma armadilha que com certeza nos aprisionará e nos levará a condenação .
Ao Adão pecar contra o Senhor, condenou não só a si mesmo mais também a toda raça, visto que para Deus ele era o representante da raça. A própria bíblia nos afirma quando nos diz que em Adão todos morreram, e que por meio de Adão entrou o pecado no mundo e por meio do pecado a morte passou a todos os homens.
Em outras palavras o homem está totalmente morto, depravado e totalmente impossibilitado de se quer estender a mão a Deus, sem que este o ajude.
Às vezes penso que Adão não pensou que as circunstâncias a que sofreria seriam tão catastróficas, trazendo sobre si mesmo e sobre a raça repentina destruição e como conseqüência de seu pecado a humanidade está exposta aos mais diversos males.
Como exemplo, podemos citar as catástrofes naturais que abatem a terra, as próprias doenças que assolam a humanidade, sem falar das conseqüências explícita que Deus aplica ao homem e mulher por seu pecado. È triste observarmos o quanto o homem tem se distanciado de Deus e procurado satisfazer a sua insaciável fome de pecado, cometendo as piores atrocidades contra Deus e o seu próximo e por mais que tenha o exemplo de outras pessoas que trazem em si mesmas as conseqüências dos seus atos pecaminosos, ainda assim o homem prefere pecar e dar as costas a Deus.
Graças a Deus que a vacina contra esse mal, Deus a providenciou desde a eternidade, Jesus Cristo O Senhor.Aleluia!

domingo, 3 de abril de 2011

Cultura ou promiscuidade?






Ao contrário da crença popular que muitas pessoas defendem, cultura não está relacionada ao intelectualismo de pensadores ou de pessoas de nível social alto.
Cultura apesar de envolver uma enorme lista de definições, na realidade podemos defini-lá como o conjunto de crenças, costumes, moral, lei e tudo que o homem possa adquirir na sociedade em que vive.
Cultura está envolvida com a prática diária da sociedade em todas as suas classes.
E gostaria aqui de lançar um questionamento.Como  poderíamos definir a cultura de hoje?
Sabemos que o homem está distante de Deus, morto espiritualmente e por consequência separado de Deus.Poderia o ser humano produzir algo que de alguma forma não seja influenciado por essa natureza.Creio que não e creio que sim.Explico!
Ao afirmar que não assumo que o homem jamais fará algo de bom por si só.
Ao afirmar que sim assumo que esse homem produz algo graças a graça comum de Deus, que é conferida aos homens em geral, que age refreando a propagação do pecado e capacitando o homem a agir de forma moral.
Continuando na tentativa de responder a pergunta supra citada, descaradamente podemos ver a promiscuidade e companhia estampada nas artes, na música e algumas vezes na ciência em seus testes para desenvolver métodos que possam "melhorar a qualidade de vida das pessoas" como no caso das cirurgias de mudança de sexo.
Vez por outra assistimos reportagens que mostram trabalhos de fotógrafos reunindo várias pessoas em geral em lugares públicos para fotos de nudez explícita, nossos tímpanos são bombardeados quase que constantemente por músicas de dúbio sentido e portadora de conselhos que se seguidos poderá trazer mais consequências aos praticantes como o aumento da prostituição, a destruição de famílias, o aumento do número de alcoólatras e todas as bagagens desse vício.
Em uma visão geral posso concluir que cultura é algo que é natural ao homem e as suas tribos étnicas bem como aos guetos.Cultura está impregnado no viver diário do homem, porém, por estar enraizado no viver diário do homem está condenado por seu próprio criador e portador por ser este possuidor de uma natureza corrompida e que sempre lhe inclinará para o mal por mais que o querer o bem esteja nele, porém não o efetuá-lo.Dessa forma vejo que a promiscuidade cada dia engoli a cultura confundindo o homem e arrastando-o cada dia para mais longe de Deus.