domingo, 24 de abril de 2011

Enrascada pentecostal







Amados irmãos e amigos que acessam o graça que liberta, antes de me prolongar neste texto tenho que confessar algo a respeito do tema desta postagem, fiquei em dúvida quanto ao tema que mais se adaptaria ao presente texto. Pensei, pensei e pensei e analisei alguns temas bastante sugestivos e que revelam e acentuam bem minha intenção quanto ao que desejo expressar. Pensei em colocar trauma pentecostal, também passou pela minha mente a hipótese de, receita pentecostal, outra boa opção seria coisa de pentecostal.E analisei de forma panorâmica o desenvolvimento de cada um desses temas, que colocarei abaixo de forma breve:
*trauma pentecostal- isso acontece com irmãos que passam tempos e tempos envolvidos com o pentecostalismo como é pregado nos dias atuais e ao estudar e se aprofundar um pouca mais no conhecimento bíblico irá perceber que muita coisa que aprendeu, na verdade, não existe base bíblica e em consequência disso, adquire um trauma de certas práticas pentecostais, correndo risco algumas vezes de serem considerados "crus" ou "secos" espiritualmente.
*receita pentecostal- é a prática de "fórmulas" ascéticas ou devocionais com o intento de alcançar benefícios espirituais, é muito praticado por cristãos e especialmente por pregadores "avivalistas" que acham que pelo muito gritar ou entonar a voz O Espírito Santo se manifestará sobre os irmãos..
*coisa de pentecostal- já isso está relacionado a crenças por parte de alguns irmãos pentecostais e não por todos os pentecostais, que algumas vezes por ser tão estrambólica causa gargalhadas em quem ouve, são coisas de pentecostal: mandar segurar a unção, se o crente pedir pra jesus parar de chover e ir para o culto levando guarda-chuva vai chover por sua suposta falta de fé, kkkkk e uma das mais ilarias que já ouvi falar, fui informado por um amigo meu, ele me contou que uma irmã lhe falou que vizinho a sua casa havia dois cachorros, daqueles de estimação mesmo, só que havia um problema, os cachorros arranhavam a parede e faziam barulho e disse ela que orou a Jesus mais ou menos nesses termos " Jesus eu sou tua serva Senhor, te peço que tu mates esses cachorros, pois é irmão, um dia desse morreu um e agora to orando pra Jesus matar o outro", pasmem, o que acabo de contar realmente aconteceu.
Mas a que mais me facinou mesmo foi o tema desta postagem, enrascada pentecostal, e como já foi supra citado, ela engloba de forma perfeita todos os temas em que pensei e não só isso, ela também expressa a situação de muitos irmãos que estão no pentecostalismo, tem passado.Desde de já peço aos amados irmãos que não me compreendam mal.Pois tenha outra confissão a fazer aqui, sou pentecostal e amo a teologia reformada, e tenho simpatia por vários motivos, por ser uma teologia altamente bíblica, e por exaltar valores e verdades eternas perdidas na imensa crendice de muitas denominações evangélicas.
Quero deixar claro que também não me vejo fora do pentecostalismo, também o amo, e não tenho vergonha de dizer sou pentecostal, porém, no entanto, todavia e portanto, sou meio incrédulo quanto ao movimento pentecostal de nossos dias na forma que muitos tem levado, entendido e crido.
Esse movimento que no Brasil está no seu 1º centenário, sem sombra de dúvidas, vi a mão de Deus operar e alcançar vidas e mais vidas salvando-as e fazendo arder em seus corações um desejo intenso pela santidade do Senhor, porém, os tempos se passam e hoje olho para o movimento pentecostal e ainda creio que é um movimento de Deus, mas os fatos me trazem tristeza e como diz certo ditado: "contra fatos não há argumentos".
Quando contemplo hoje o movimento não enxergo as mesmas coisas do passado.Vejo uma espécie de máquina "inclusiva" e "excludente", o que outrora era conhecido por seu grande número de adeptos constituída por pessoas na maioria leigas e de poucas finanças.
Atualmente é bem diferente a história, faz-se uma seleção que leva alguns fatores que influenciarão no acesso a aceitação e títulos de "homem de Deus ou mulheres de Deus", ou de forma popular os chamados "vasos". Para se estar incluído no rol dos que são considerados ungidos, tem que se falar em línguas, ser do reteté como diriam alguns irmãos, só que essa exclusão não se é expressa, e sim, se sentir excluído dos demais, caso o irmão ou irmão ainda não tenha falado línguas, em algumas denominações é um dos requisitos para a separação ao diaconato. E quero deixar bem claro aqui que há irmãos que se é notório a sua chamada e desenvolvimento ministerial em outras áreas, porém, por não falarem em línguas, não são separados para o diaconato.
Outra coisa que também me traz pesar.É a forma como as pessoas pensam e acreditam o que é ser cheio do Espírito Santo.São levados por emocionalismos e acreditam que arrepios e pulos é sinônimo de ser cheio do Espírito.
Certa vez, vi uma das definições que mais me chamou a atenção e que para mim foi uma das mais lindas sobre ser cheio do Espírito.Estava lendo introdução a teologia sistemática de Millard J.Erickson sobre pneumatologia e em uma de suas sínteses textuais ele diz o seguinte "ser cheio do Espírito Santo não é ter uma porção maior do Espírito, mas o Espírito possuir uma fatia maior de nossas vidas". (grifo próprio).
Nunca mais esqueci!
Eu acredito que o movimento pentecostal ainda terá o alvo de ser cheio do Espírito Santo nos moldes que Millard definiu.Se preocupar em ser cheio no sentido do Espírito dominar totalmente a vida dos pentecostais e que esse preenchimento os impulsione e produza fruto de amor, paz, longanimidade, bondade, justiça, retidão.
Mas até esse dia chegar, estamos em uma enrascada¹.






 1-Situação complicada ou de difícil resolução.
Fonte:http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=enrascada

Nenhum comentário:

Postar um comentário